10.8.09

(me acompanha ou morre)



- olha, antônio, nem quero mais saber das suas não-respostas, do seu jeito cínico de quem não entendeu mas é culpado, nem me importo com as outras que você traz pra casa enquanto eu saio pra te tirar da minha cabeça. mas, por favor, não me abuse, não traga suas coisas, não pendure seus quadros; se for pra me machucar, me machuque de longe que é pra eu não ver. não esfrega na minha cara minha inaptidão pra te segurar aqui comigo. chora, maldito.

te amo,
anna

Nenhum comentário: