15.4.10

helena, que dilema!

quando passa pela rua uma menina chamada bibi você pode nem pensar muita coisa, mas vou te contar que uma menina chamada bibi que passa na rua perto de você deveria ser muito mais que apenas uma menina chamada bibi. nenhuma outra menina-bibi no mundo podia ser tão bossa nova quanto essa bibi passando agora aí na sua frente, e você nem prestou lá muita atenção. a bibi, caso você se interessasse a tentar começar um papo, a bibi falaria bem de mansinho, assim bem de um jeito que é só dela, e falaria, acho eu, provavelmente, de assuntos esparsos mas inter-comunicáveis (assim, com hífen mesmo, porque a bibi é o tipo de menina que não adotou nem está interessada em adotar a nova ortografia), tipo um show do vanguart e alemão, a aula de sintaxe, a exposição do andy warhol e alguma prova de jornalismo, que ela está em semana de provas, veja bem, não dá pra perder muito tempo com small talk. a bibi me ensinou algumas coisas importantes nessa vida, ou quem sabe teria me ensinado caso a bibi fosse uma pessoa de carne e osso e não só uma menina hipotética passando bem aí! na sua frente! com a bibi eu teria aprendido a ter um humor menos desnecessariamente irônico e ofensivo, e também a sempre usar produtos pantene pro cabelo (que a bibi tem um cabelo, assim, desses que a gente sente o perfume bem antes de ela entrar no lugar) e também a depender menos de plataformas virtuais de redes sociais, que as redes sociais são essas que a gente vive todo dia não essas que têm nossa foto na internet. a lição mais recente que eu aprendi com a bibi foi dobrar as barras do jeans (que eu sou assim uma menina pequena e a barra costuma ficar engruvinhada) e teve mais uma coisa que não foi uma lição, mas foi um aprendizado, foi quando eu tava me perdendo nas minhas pequenas e múltiplas pequenas inseguranças; foi nesse momento que a bibi disse assim (ou teria dito, caso tudo isso tivesse mesmo acontecido): "ah, mas pra você não tem páreo!" ou algo muito parecido com isso, talvez tenha sido "não dá pra competir com você, né, mel" seja lá o que tenha sido, a bibi desperta dentro de mim um carinho bem grande, ou despertaria caso fosse uma menina de verdade e não só uma menina-bibi que passou na sua frente e você nem olhou.

3 comentários:

Ludmila . disse...

Ounnnn, que fofo!

Nah Safo disse...

aaaaaaaahhh, que legal. hahahahaa

Lena, disse...

ieeei, adorei =D! mas espero que não exista outra menina-bibi que nem eu ...