13.4.10

"você é a pessoa certa no lugar certo. sabia disso?" foi o que o cobrador do ônibus me disse. ele tinha um motivo pra dizer isso, claro, mas eu não vou contar porque fica muito mais bonito se parecer uma frase assim suspensa dentro de um ônibus, tipo aquelas frases proféticas de filme que aí o protagonista começa a perceber que por mais que tudo tenha dado errado até então, as coisas vão começar a se colocar no seu lugar e caminhar prum fim alegre-e-interessante.

é que eu ouvi assim a vida toda: que a felicidade não é lá muito inspiradora, e pode não ser mesmo, digo, pra escrever, quem sabe, coisas sensíveis e tocantes - mas ainda assim, talvez seja. hoje tudo que eu vi tava emoldurado em corações, e isso nem é metáfora brega de romance água-com-açúcar, é que meus óculos de sol têm esse formato: de coração. mas querendo ou não as coisas pareceram mais agradáveis. o jovem senhor ao meu lado lendo um livro de direito cujo capítulo se chamava "a universalidade do fenômeno jurídico" me deu vontade de dar risada, mas eu fui educada e polida e continuei serena por trás das minhas lentes heart-shaped.

mas aí de repente todo esse bom-humor começou a parecer muito fora de lugar quando eu entrei no frans café antes de ir trabalhar, já que eu sou burra o suficiente pra entrar nessa merda desse frans café só pela comodidade de ser do lado do banco estúpido onde eu dou aula. não sei se a coisa é, assim, pessoal com a pequena-mel que aqui escreve ou se o atendimento é uma merda mesmo, mas ninguém mais parece se incomodar e eu definitivamente nunca vi ninguém reclamando - talvez porque todo mundo seja atendido e receba na mesa seja-lá-o-que foi pedido muito antes de mim. a questão é que eu costumo pedir coisas simples uma coca light com gelo e um pão de queijo por favor e enquanto todo mundo recebe suas sopas em pães, saladas coloridas, sanduíches cheios de frescura, eu fico lá tomando goles da minha coca - normal e sem gelo - e ainda tenho a pachorra de dizer obrigada e sorrir SORRIR quando a garçonete me traz um pão de queijo murcho frio com gosto de limão estragado.

então o que eu tenho vontade é de entrar de novo naquele ônibus que chacoalha até quando tá parado no farol vermelho e dizer não, senhor cobrador, eu não sou a pessoa certa no lugar certo, eu sou só uma dessas idiotas educadas que sorri quando pisam no meu pé e quando me trazem uma merda de uma coca normal quando eu claramente pedi uma coca light PORRA. e você só disse isso porque é um interesseiro que precisa de troco e eu sou uma babaca que nunca carrega o bilhete único

fim.