21.5.10

i can see through everybody's clothes

- olha, você que me desculpe, eu não costumo ser assim tão intrometido, não tenho o hábito de falar com ninguém assim desse jeito tão abrupto sem que eu tenha permissão, licença ou intimidade o suficiente, mas é que tem umas coisas me entalando a respiração faz tanto tempo, você me entende? duvido, e é bem isso que tem me incomodado tanto, tanto a ponto de eu não conseguir fazer meu trabalho, não consigo me concentrar, não faço nada direito - outro dia fui comprar leite e isso tudo me deixou tão irritado, tão fora do normal, que eu voltei pra casa com um saco de alface e esqueci completamente do leite que minha esposa tinha pedido, tudo por causa desse problema que tem me incomodado tanto, e o problema é esse que eu vou falar agora: não tô mais conseguindo lidar com a previsibilidade das pessoas todas; sei que soa pedante, sei que todo mundo é mesmo meio previsível inclusive eu, mas de umas semanas pra cá meu corpo não consegue mais responder bem, virou uma coisa assim física, tipo um zumbido de mosquito que não te deixa dormir durante a noite, é isso que eu tenho sentido, cada vez que eu vejo alguém eu consigo saber por completo o que ela tá pensando, do que ela gosta, o que ela ama, pra que time ela torce, o que a irrita, consigo até enxergar a cor da roupa íntima; por exemplo você, eu tenho certeza que seu sutiã é azul, de algodão, não rendado, e sua calcinha é aquelas de desenhinho que tão na moda agora, minha esposa tem um monte, ela me falou que são confortáveis e eu particularmente acho uma gracinha. agora você me diz, se eu sei o que você tá vestindo por baixo do que eu consigo ver, imagina o que mais eu não sei sobre você? agora me diz, você se imagina lidando bem com essa situação acontecendo pra cada pessoa que você vê. olha, nesse ônibus, por exemplo, quantas pessoas tem nesse ônibus? agora me diz se é possível não perder a sanidade sabendo a cor e o modelo de todas as cuecas, todos os sutiãs, todas as meias, sabendo detalhadamente tudo que essas pessoas pensam quando olham pra mim, as que me desprezam, as que me acham fisicamente interessante, as que acham que eu devia fazer a barba, as que querem ouvir a minha voz, as que querem saber se eu gostaria do que elas tão ouvindo no ipod - aquela moça ali, vou te dar um exemplo, aquela moça ali tá escutando u2, tenho certeza, sabe como eu sei? do mesmo jeito que eu sei que ela compra toda edição da revista rolling stone, assim como eu sei que ela gosta de celebridades no geral que fazem caridade e tentam salvar o mundo, sei por fato que ela é uma eco-chata e sei que ela me odeia porque eu tô carregando essa sacola plástica aqui. você tá me entendendo? eu sei eu sei, seu ponto é o próximo, você vai parar ali naquele boteco undergorund pra tomar uma cerveja com um desses seus one-night stands, sei que você não é do tipo romântica, isso tudo não foi uma cantada, não se preocupa, eu sou casado, precisava comprar leite pra minha esposa.

Nenhum comentário: