1.8.10

e aí o que rola é que eu volto a declarar meu amor a céu aberto. escrever cartas de amor ao léu deve ser mesmo meu grande talento, não sei ficar em silêncio. talvez seja mesmo todo esse tempo livre que eu arranjei nem sei como, combinado com a falta de carinho, de sexo, de contato, tudo isso serve pra eu me apaixonar loucamente e brevemente pelas pessoas mais aleatórias e impossíveis. os piores amores são esses que duram alguns minutos, são os mais intensos, os mais fervorosos; amores de ônibus, amores de pessoa andando 5 passos na sua frente pela avenida paulista, esses amores muito mais idiotas que platônicos, são esses que acabam comigo.

Nenhum comentário: