29.11.10

about how we try so hard to make ourselves less lonely

e no fim é difícil mesmo, sorrir, ser delicada e gentil e doce quando tudo que a gente pensa é que tá tudo errado, as pessoas tão erradas, o sol brilhando em cima da minha cabeça tá errado, tanta coisa errada nesse mundo; eu acho difícil me sentir menos sozinha quando dentro da minha cabeça, cara, é muita solidão dentro da minha cabeça, é muito espaço vazio sendo preenchido por nada além de mim mesma, e não é a parte de mim que é bonita; é muita escuridão, muita podridão, muito esgoto, muita sujeira pra eu lidar sozinha, muito de mim que eu não quero ver nem tenho como lidar. mas não tem jeito, a gente tenta com todas as forças, eu tô aqui tentando, ser menos suja e escura e podre, eu ofereço amor, eu ofereço sorrisos, eu ofereço meu coração assim inteiro sem medo sem arrependimento, eu estendo minha mão, eu entrelaço meus dedos, eu abraço, eu sou também muita luz e muita beleza e eu sei muito bem que no fim das contas é isso que importa, mas é só que às vezes é muito difícil, tudo que eu tenho dentro de mim que é leve e bonito não faz deixar de existir tudo em mim que é feio e solitário, como a gente se torna menos sozinho? como eu me torno menos sombria, menos medrosa, menos triste? como a gente pede ajuda pra lutar contra a solidão? alguém pode mesmo ajudar a gente a ser menos sozinho? às vezes parece que quanto mais a gente se aproxima de alguém mais óbvia fica a nossa própria solidão; tem como superar a tristeza dessa constatação? existe o não ser sozinho?

Nenhum comentário: