13.5.13

update bits

eu tenho tido idéias e vontades de escrever nos momentos mais aleatórios possíveis, e é claro que essas idéias vão se perdendo com o passar do tempo e esses dias eu me peguei pensando em como é fácil criar momentos pequenos que fogem dessa rotina idiota do trabalhar-estudar mas ao mesmo tempo como é simples aproveitar a inércia da rotina e deixar ela se perpetuar até nos cantinhos obscuros do cérebro e é isso, é simples demais se deixar levar pela idéia da rotina e criar uma padronização do jeito de viver os dias todos e do jeito de pensar os dias, e umas semanas atrás eu estava pensando demais nisso e em como eu tinha me tornado uma pessoa sem graça e chata que só trabalha até perceber que ninguém mais pode mudar isso além de mim, e agora estou aqui, porque meu cérebro não tem que cair na rotina, minha rotina não me representa.

aí vim aqui registrar algumas coisas

1 então eu decidi que vou voltar a escrever, o que significa tratar esse blog como um exercício e tentar escrever uma vez por semana pelo menos nem que seja um diariozinho bobo. até porque escrever toda semana num blog nunca foi difícil pra mim, não é possível que tenha se tornado uma tarefa tão desafiadora. e também porque me forçar a escrever pode me ajudar a não deixar meu cérebro ficar inerte e deprimido, e também pode significar que eu tente fazer mais coisas diferentes pra ter o que compartilhar aqui (ou pode apenas significar que eu venha aqui falar bobagens, o que no sentido de "exercício da escrita" não é ruim nem pra mim nem pro blog)

2 vi num blog desses de street fashion umas pessoas que fizeram uma promessa de não comprar roupa em varejo por um ano, apenas brechós. aí vou tentar fazer isso. for the sake of doin it. me parce um desafio divertido e eu sei que já tenho roupas demais e na verdade não preciso de nada mais que eu queira comprar, então soa interessante me exercitar a não comprar coisas bonitas por aí.

3 estou feliz que tenho me observado cada vez menos interessada em ver tv, tipo, morosamente sentar no sofá e ficar lá esparramada olhando pra tv, porque me ocupava um belo tempo e não me trazia nada, apesar de que é gostoso ficar lá e saber-se podendo ficar sem fazer nada. isso não significa que, né, não assisto mais tv, mas é diferente baixar séries que eu gosto e assistir ao oposto a sentar na tv por uma hora ou mais trocando de canal eternamente.

4 não sei porque razão tenho tido muita vontade de escrever sobre moda, mas eu resisto, primeiro porque já falei disso aqui, segundo, porque no fim das contas eu não tenho muita autoridade sobre o assunto, e depois, porque tem tanto blog falando de moda por aí, de todos os jeitos, com foto, sem foto, criticamente, superfluamente, e no fim de dar a volta ao mundo pelos blogs que falam de moda, parece tudo um grande parágrafo sobre bosta nenhum e eu queria muito não virar isso, mas sinceramente, moda é uma das minhas poucas paixões pessoais que tem realmente me empolgado ultimamente, embora eu queira que isso mude.

5 que sensação incrível é sair de um livro cuja qualidade você respeita mas cujo estilo faz a leitura ser uma batalha sem fim e começar um livro no qual já dá pra mergulhar completamente nas três primeiras páginas né? eu larguei o corrections do jonathan frazen - pela metade, admito envergonhadamente - e comecei o 1Q84 do murakami, e foi tipo um grande alívio, um grande respirar fundo, sério, que porra de livro incrível. eu acabei de começar, tô bem na introdução da coisa toda, na pincelada dos personagens e do que a história fará com eles, mas já tô totalmente envolvida. já sobre o frazen, vou tentar de novo, acho que comecei com a idéia errada, com a expectativa torta, não sei direito, mas o corrections só falta metade, agora que já estou acostumada com o estilo, que já houve a quebra da ilusão, devo continuar e terminar sem problemas. já tinha comprado o freedom, também dele, mas depois dessa experiência com o corrections não sei se tento tão cedo. em compensação, murakami never fails to amaze me, acho que eu podia ler vários livros dele seguidos sem enjoar ou cansar ou me entediar. (inclusive o what i talk about when i talk about running, que é mais um ensaio, totalmente fora do estilo que eu gosto de ler, foi uma leitura incrível). e minha conclusão é que talvez a leitura ainda seja uma paixão mais forte que a moda.

e esse é o fim das transmissões! talvez nos próximos posts eu tente desenvolver melhor alguma das idéias que eu pincelei/lembrei tentando escrever esses bits, o tempo dirá!

Nenhum comentário: