5.12.13

ainda sobre o verão

então eu estava ficando ligeiramente desesperada porque não tinha nem sequer começado a colocar em prática nenhum dos meus projetos e meu deus eu só vou ter férias de novo ano que vem, preciso começar a apressar as coisas!

aí peguei todas as roupas que eu queria consertar, ajustar, modificar e decidi começar a botar a mão na massa. pena que eu só decidi que era hora e começar as nove e meia da noite, né, mas isso não me abalou; pensei: corto o que tiver que ser cortado hoje a noite, amanhã costuro o que tiver que ser costurado, em menos de 24 horas meu projeto mais importante do verão terá sido concluído e aí eu resgatarei meu livre arbítrio de férias pra me dedicar à piscina e correr com minhas cachorras e sei lá, dormir no sofá vendo tv.

aí minha maior dúvida era como cortar a barra de uma saia, que não é um tecido reto, e não deixar desigual, ao que fui consultar minha mãe, pois como todas as mães, ela tem algumas sabedorias que podem ser válidas em alguns contextos bem específicos. só que compreender uma sabedoria de mãe e realmente colocá-la em prática são duas realidades muito distintas - normalmente, sabedoria materna só funciona na prática quando utilizada por mães. você pode entender a teoria, pode captar o conceito, mas suas mal-ajambradas e imperfeitas mãos de não-mãe não saberão o que fazer com tal conhecimento cósmico de mãe. pois que pelos primeiros quinze minutos eu tinha certeza absoluta de que tava cagando tudo completamente e estragando roupas que se não fosse por mim poderiam ser usadas por uns dez anos, tudo porque eu cometi a falácia de tentar me aproveitar de conhecimento que não me pertence. mas olha, tava dando certo na verdade. estava. dando. certo.

o que eu acho que é pior, porque quando a gente tem certeza que o bagulho tá errado, e quando vê ele deu certo, a gente acaba se deixando levar pro uma auto-confiança excessiva, uma segurança que cega e debilita. mas se existe outra coisa pra qual mães servem é pra podar auto-confiança desnecessária, né? então bem rapidinho minha mãe deu uma olhadela no trabalho do qual eu estava tão orgulhosa e disse num tom que pareceu um misto de sabedoria, dó, comiseração, e disse: "vou ligar pra costureira amanhã, tenho certeza que ela arranja um tempinho pra fazer essas suas roupas ainda esse ano".

pof.

Nenhum comentário: