10.11.14

she's got the whole dark forest lving inside of her

você vai passar anos tentando distrair seu coração da saudade, da memória, das longas noites em que você relembra passo a passo como é que você chegou nesse estado, como é que ela te deixou chegar nesse ponto; talvez nem fosse tão bom, talvez você nem a amasse, mas ela te infectou e te deixou, como era de se esperar, como se você fosse apenas mais alguns dias de inspiração e poesia e depois, muso desgastado, pudesse ser dispensado, esquecido, superado.

agora você passa as noites beijando as bocas erradas, pensando profundamente sobre qualquer merda fútil, com os lábios ardendo, os olhos pescando mas nunca fechando por completo, o corpo vazio como quem descobre que o amor é um veneno, mas você sabe que não é nada disso, não tem veneno, não tem poção, não tem nada dessas canalhices, só tem um buraco tão grande quanto a depressão que ela deixava no colchão, só tem uma neblina leve em todos os lugares pelos quais ela andou; ou quem sabe seja somente essa fumaça toda, que se deixar desmoronar em tristeza é tão rápido quanto acender um baseado

Nenhum comentário: