20.3.15

anedotas de um site de moda 2

nem tudo é press release mal escrito e fofoca fashion na vida de uma redatora de moda! também tem bolo de brigadeiro em comemoração do aniversário da minha chefe que: nem sequer está no trabalho hoje. nāo me importo, apenas me deliciei com bolo de rico e invejei à beça a quantidade de presentes esperando na mesa de minha amada chefe. tudo lembrancinha de marca e assessoria de imprensa, pra garantir que a redação desse website fashion continue escrevendo notas rasas sobre lançamento de porrinha fashion.

não me levem a mal, eu amo porrinhas fashion, eu acho moda tudo de bom TDB, mas a estrutura por trás da circulação de notícias sobre o assunto é tosca at best. não entendo por que, já que ~na gringa~ tem os blogs ruins, é claro, mas tem tanta coisa legal sendo feita. enfim, i digress, e repetidamente pois já falei sobre isso.

mas estávamos aqui comemorando o niver da minha chefe que só virá pro ~escri~ semana que vem,  e metade da equipe se reuniu em um dos computadores pra assistir ao novo vídeo de alguma blogueira tosca e dar risada e falar mal dela.

nada contra, acho justíssimo gongar gente brega, mas amigos, com que cara limpa livre de hipocrisia a gente pode fazer isso tendo o trabalho que temos? porque se alguém se submete a postar sobre coleção, produto e semana de moda sem se dar ao trabalho de fazer uma única criticazinha decente, tal alguém não pode mais zoar quem tá no mesmo barco.

o que acontece aqui de a gente receber pauta e todo mundo dizer "nossa essa coleção foi horrível, brega, pobre, ridícula", mas aí escrever no site "a coleção está cheia de charme e super atual, com estampinhas fofas e carinha de menina moderna!" não é brinks, amigos.

falta coragem pra admitir que 90% das coisas que recebemos e publicamos são completamente irrelevantes. falta crítica, falta análise, falta uma leitura profunda de por que a moda está cada vez mais histérica e menos significante.

ah, não pode falar mal, se não não tem mais brinde, não tem mais convite pra desfile, não tem mais publicidade no site, ok, entendo, we all gotta make a living e se o caminho é se vender não julgo quem topa - nem duvido que eu não toparia. mas me dá uma certa tristeza.

agora, por que não pode ter reflexão sobre o movimento da moda? por que não pode dar opinião sobre o que a moda significa? não precisa citar nome, estilista, marca, pra fazer uma análise cultural decente das manifestações de moda atuais. o que significa moda, roupa, indústria, nesses nossos tempos tão loucos?

não sei também, queridos leitores, e adoraria descobrir, mas não posso porque tô atrasada pra postar um texto sobre uma coleção de roupas absolutamente horríveis, e no texto vai ter vários adjetivos do tipo: charmoso, atual, moderna, criatividade, exclusividade, dinâmico entre outros que significam, isso mesmo, absolutamente nada.

(apenas um exemplo palpável: recebemos recentemente um catálogo de uma marca de roupas femininas e a modelo que a marca usou é: um homem. me perguntem, pacientes leitores de meus rants fashionistas, se alguém quer escrever um texto bacana sobre modelos trans na indústria da moda, a crescente presença de pessoas trans no geral na mídia, a importância da representação do público trans nos veículos de moda e entretenimento, a presença (ou falta de) de minorias na moda - seja na produção, nas passarelas ou nos consumidores, e o que isso significa culturalmente, socialmente, economicamente... ENFÃN [como dizem os franceses). é assunto a valer, é discussão pra texto até não dar mais, é coisa relevante transbordando nessa bela piscina de novidades que é a moda)

Nenhum comentário: