9.3.15




















eu vi esse poster incrível de um show do sonic youth e fiquei pensando na kim gordon e em todas as moças da música dos anos 90 e começo dos anos 2000 e acho que a maior diferença pra mim é que quando eu era adolescente essas mulheres eram realmente role models, porque elas eram a gente. elas se vestiam que nem a gente, elas falavam que nem a gente.

tipo, eu até compreendo o apelo katy perry do mundo pop de hoje em dia, mas não dá pra uma menina querer ser como a katy perry, porque toda a apresentação visual dela é pensada e produzida para o palco.

esse é meio que o fator lady gaga do mundo pop, que transformou qualquer aparição de uma artista musical em espetáculo.

mas as minhas aparições não são espetáculos, minha vida não é um palco, então acho muito triste que essas moças não representem meninas normais.

tipo, a kim gordon nesse poster de 92 está vestida exatamente como qualquer garota de 92 que curtia rock ~alterna~.

a fiona apple no unplugged tá basicamente com o uniforme angsty teen dos anos 90


ou a gwen stefani, que sempre foi meio over the top, mas cujo princípio básico ao se vestir era o mesmo princípio das meninas desse mundão


tudo muito wearable, tudo copiável, mas mais importante, tudo muito relacionável. as meninas não copiavam a gwen, ou a fiona, ou a kim porque elas queriam ser iguais a elas, imitá-las. mas essas artistas tinham a persona da menina normal, elas representavam a juventude feminina e por isso todas n´´os nos vestíamos mais ou menos assim.

não era cópia, era identificação.

até a cat power com aquele jeitão tomboy representava melhor as jovens moçoilas do que as artistas atuais, ou a pj harvey e seu estilo completamente wacky.

é claro que é difícil comparar o estilo dessas artistas alternativas ou indies com as artistas pop de agora, mas eu lembra-los-ei de que nos maravilhosos tempos dos anos 90 e 2000, a gente não tinha essa diferença clara entre o que era pop mainstream e o que era alternativo. todas essas cantoras que eu mencionei aqui apareciam na mtv. minhas playlists adolescentes iam de fiona apple pra britney spears rapidinho, e as cantoras mais ~pop~ se vestiam sabe como? do mesmo jeito que as outras.

olha as spice girls 


e a christina aguilera


e até as destiny's child do jeitinho brega delas representavam bem uma juventude late 90s early 2000s


(eu particularmente lembro de IMPLORAR pra minha mãe me fazer uma calça com estampa militar igual as que elas usam nesse clipe - e minha mamãe querida prendada é claro atendeu ao meu pedido)

acho bem triste que as meninas de agora não possam olhar pras suas cantoras favoritas - sejam elas mainstream, indies, obscurar, whatever - e enxergar a si mesmas. acho que deve fazer falta. 

por isso gosto muito da vibe lorde e taylor swift. elas tem a produção loucona de show, com roupas mirabolantes e espetaculares, mas elas também sabem que fora do palco o mundo não é um espetáculo, e que as meninas precisam se sentir representadas de algum jeito.




nesse clipe, por exemplo, as roupas são compreensíveis dentro do contexto do vídeo e fora dele também, e isso é moda, isso é inspiração.

a escola lady gaga de estética pessoal que me desculpe, mas essas roupas louconas não tão com nada pois não significam nada. e roupa só passa a ter valor se tem alguma significância pras pessoas.

Nenhum comentário: