12.3.15

recap girls s04e08

(contém spoilers)

eu só assisti esse episódio uma vez mas baixou a inspiração divina hannah horvath pré-cotonete-no-ouvido em mim e eu quis escrever.

primeiro: acho que a parte mais notável desse episódio foi o crescimento da shoshanna, fora a interpretação dela do conselho da jessa de dar uma demonstração de amor inesperada. acho que a amizade que ela tá desenvolvendo com o ray muito bonita de assistir embora eu particularmente ache muito estranho gente que é amigo de ex.

além disso, vejo que essa nova relação amorosa dela vai ser bem interessante. a shoshanna é muito extrema em suas opiniões e atitudes, e embora ela não seja uma mulher imatura de verdade, ela muitas vezes parece ser. o vocabulário extremamente ofensivo dela parece vir de uma vontade meio desesperada de continuar na adolescência, quando chamar as amigas de perdedoras para afirmar a própria superioridade era comum - mesmo que essa superioridade não significasse nada fora que você sabia xingar as outras pessoas mais eloquentemente. então a primeira vista, quando o date dela disse "we don't use words like that" eu achei que ele ia ser muito bom pra shosh. acho que ela precisa ver que o sucesso dos outros não quer dizer que você não vai obter sucesso também, e que apontar as falhas dos outros não faz as suas desaparecerem.

mas depois pensei um pouco e não sei.... esse "we don't use words like that" foi uma espécie de ~poda~? o cara tava podando a shosh? é legal alguém virar pra uma pessoa que mal conhece e desutilizar o vocabulário e as expressões dessa pessoa porqueb "não se fala assim"? a gente sabe que as ofensas da shosh partem muito mais de uma frustração pessoal do que da opinião real dela sobre as amigas, mas o date dela não sabia disso. ele proibiu toda uma expressividade da shosh a partir do pressuposto de que ela usava certas palavras com a intenção clara de ofender. e ele foi lá e cortou essas palavras da vida dela sem tentar entender a persona shoshanna por completo.

me parece que a shosh aprender a lidar com as próprias frustações e não descontar suas falhas nos outros é muito importante, mas não desse jeito.

situação shoshanna à parte, eu não tenho nada a dizer sobre a marnie (apenas: bocejos. also, repito aqui a incrível reação de shoshanna ao ouvir falar da marnie - me imaginem repetindo as palavras na mesma intonação de shosh: fucking marnie?????) e nem sobre a jessa (cadê jessa nessa temporada, gente? ela aparece de vez em quando com algum comentário brilhantemente inapropriado e some novamente nos dramas das outras meninas. uma pena).

quanto à hannah: a amizade dela com a aluninha é uma coisa tão hannah, tão absurda, tão menina adulta mimada que não entende as responsabilidades de sua posição, mas foi retratada de um jeito tão bonito no episódio. uma coisa com a qual eu consigo me relacionar muito é essa vontade de ser legal e ensinar e aprender coisas com meus alunos fora da sala de aula. dá vontade mesmo, porque você tem todas essas referências legais que quer passar adiante, e eles têm mentes tão moldáveis e influenciáveis, mas a questão é que pessoas adultas precisam saber os limites do que é uma relação aceitável com adolescentes. professores especialmente. nevertheless, as duas irem juntas fazer um piercing no intervalo das aulas foi uma sequência tão singela (é claro que o alívio cômico da hannah falando merda e sendo louca ajuda a manter as coisas em perspectiva) que eu agradeci às deusas pela presença daquela cena HOR-RÍ-VEL da coitada da adolescente fazendo o ~BEST FRENULUM PIERCING~

quase tão chocante quanto o saudoso cotonete do transtorno obsessivo compulsivo da segunda temporada.

(não sei se vocês notaram, mas eu quis começar e terminar o texto com a referência do cotonete porque acho esse cotonete extremamente relevante e achei que precisava lembrar todos vocês da existência dele)

Nenhum comentário: