12.9.15

continuo aqui firme e forte na minha resolução de escrever todo dia e ontem fui impossibilitada pois: trabalho, chuva tempestuosa, e gripe que veio direto do inferno anunciar minha morte. also, sem assunto, porque ninguém tem assunto todo dia nessa vida, né, mas eu me meti nessa enrascada e agora tenho que sobreviver até o final.

mas nenhuma falta de assunto passa remediada na maravilhosa interwebs, e no meu site de tópicos diários para escrever ontem a sugestão era escrever sobre as qualidades que você procura no seu próximo candidato à presidência??? algo assim e, né, boring, mas a sugestão de hoje é sobre o que mais te assusta no mundo atual e esse também é um assunto chato, então fiquei meio: fuén.

o que mais me assusta no mundo de hoje ou de qualquer época é envelhecer, muito mais do que morrer (embora morrer de maneira dolorosa e lenta também me dê medo) e, claro, coisas como guerra, não ter o que comer ou onde morar, etc.

quanto à coisa do candidato à presidência, não sei, eu podia me estender aqui sobre valores e morais e situações políticas mas eu tenho certeza que tem gente mais qualificada que eu pra falar disso. mas o que eu lembrei é que no pré, com a tia dinorah, eu li um livro chamado "o prefeito perfeito"


que consiste nos bichos da floresta decidindo que precisam de um prefeito, e cada um acha que é o candidato ideal porque sabe como suprir às próprias necessidades, e os outros chiam pois eles é que são os melhores, porque entendem dos próprios problemas. é um tal de cada um por si e deus nos acuda e pode até ser um  livro infantil mas queria dizer que é uma bela lição pra certos tipos de manifestação que têm acontecido por aí.

Nenhum comentário: