19.10.15

esses dias vi esse mural lyndo maravilhoso da mag magrela, mas o bagulho é tão grande que é muito difícil tirar uma foto de tudo.









eu gosto d+ dessa mulher, gente. um tempo atrás também fotografei esse outro grafite dela


e depois voltei pra tentar tirar uma foto do mural inteiro, porque a mordida nas costelas da moça é uma das coisas mais legais



a primeira foto eu tirei de noite e a segunda num dia nublado e as cores ficaram tão diferentes que eu achei até meio difícil de entender, mas bola pra frente porque tem tanta coisa que eu acho difícil de entender mas abstraio e sigo vivendo a vida, não é mesmo.

outra coisa que não consigo entender é como podem criar uma história sobre um homem completamente sozinho em marte por mais de um ano e ele nunca nunquinha se desespera, grita, chora, não entendo??? a tripulação descobre que deixou o cara pra trás vivão em marte e ninguém chora ninguém sente culpa, ninguém tem pesadelo, sei lá, todo mundo é tão bonito e com dentes tão brancos e retos e as moças tem cabelos maravilhosos e são tão jovens e o russo nem tem lá muito sotaque que é pra não desequilibrar a ideia de perfeição americana né, sei lá gente?

saí ontem do cinema pensando que meu veredito sobre o filme the martian era: tão ruim quanto o livro. mas quanto mais eu penso mais eu acho ele na verdade muito pior que o livro? e olha que eu nem sequer terminei de ler o livro.

vantagem do filme: livro não tem trilha sonora portanto em nenhum momento do livro tocou uma música inteira do david bowie assim de surpresona. david bowie surpresa: always welcome.

desvantagem do filme: o livro não tem trilha sonora, portanto embora eu leia sobre a disco music que o cara tá tendo que ouvir em marte porque é tudo que tinha no computador da chefe, durante a leitura eu não tive que necessariamente escutar a tal da disco music.

inclusive, dúvida: a comandante chefona da missão foi a única que levou música e entretenimento pro espaço? o cara é obrigado a ouvir as músicas e assistir as séries 70s da chefe? ninguém mais tem um pen drive com umas coisa da hora? o próprio protagonista não levou o kit netflix dele pro espaço? por quê? não entendo

outra coisa, precisa de tanto personagem secundário mal explorado e com diálogo forçado? não tem mesmo como evitar esse desperdício de tempo de filme e/ou páginas de livro? pra que tanta prolixidade textual e imagética, por quê, jesusinho

não sei por quê, amigos, mas o que eu sei é que tudo se esquece com uma boa playlist, então taí pra vocês, a resolução de todos os seus problemas (os de hoje só, que os de amanhã já é demais)



  • johnny flynn - all the dogs are lying down




  • andrew bird - a woman's life and love

  • velvet underground - guess i'm falling in love

  • dr dog - the old days

  • shakey graves - proper fence

Nenhum comentário: