22.12.15



tá que eu decidi fazer hoje uma coisa que eu faço todo fim de ano que é a mega limpeza da vida do quarto das coisa tudo, acho importante, acho legal, ainda mais eu que sou confusa desorganizada estabanada e acumuladora; preciso desse momento.

que seria ótimo se fosse mesmo só um momento né, porque no caso estou eu aqui pós meia noite apenas imersa na loucura da bagunça, porque o que acontece quando a gente decide organizar a vida é que antes de ela terminar organizada ela fica muito mais caótica do que no começo, e não sei pra vocês mas pra mim sempre rola aquele pequeno arrependimentozinho de sequer ter começado, porque não sei nem como vou dormir com tanta coisa no chão em cima da cama nas poltronas em todos os lugares.

realmente não sei o que fazer.

me livrei de pilhas e pilhas de livros e discos de vinil e ainda tem muita coisa sem lugar e estou talvez levemente entrando em pânico??? não vou dizer que sim nem que não

porém queria dormir mas estou impossibilitada devido à situação atual.

e como se não bastasse já as coisas normais que eu tenho, a gente tá em véspera de festividades, então tem também fucking presentes de natal tomando espaço - dos quais só me livrarei na adorável noite de quinta-feira, em que passarei a ser mais leve de possessões que se destinam a outras pessoas porém bem menos leve no quesito pancinha


porque, ólia, eu posso não ser a maior fã do natal mas eu curto d+ uma boa comemoração que envolva comida deliciosa.

e tudo bem porque até o natal chegar eu estarei passando fome presa aqui na minha masmorra da bagunça eterna sem poder dormir pois cama cheia de coisas e sem poder ir pra nenhum lugar pois chão inteiro cheio de coisas, escada cheia de coisas, todas as coisas cheias de coisas.

e já que caos nenhum é suficiente, além de meus próprios pertences e dos presentes de natal, eu também sou possuidora de bichos que em nada facilitam minhas inúteis tentativas de preservação da sanidade mental.

porque, sabe, é muito fácil fazer limpeza quando sua gata acha que qualquer lugar serve pra que ela se sinta confortável



e por motivos de não sei o que significa praticidade, além dos bichos, das coisas todas espalhadas e da bagunça natural do meu cérebro, eu agora tenho plantas.

isso mesmo, PLANTAS.

tudo porque passeando por essa maravilhosa cidade vi essa parede e me apaixonei???


e consequentemente sonhei com plantas, mais especificamente sonhei que comprava uma planta e ela era tão verde e bonita e cheia e saudável....... que aí fui lá e comprei esse cacto que é exatamente verde e bonito e cheio e saudável, porém ele também pesa 60 mil quilos e also eu simplesmente não tenho onde colocá-lo, então ele está nesse momento no chão, onde vai permanecer até que eu consiga performar um milagre que será achar algum lugar pra deixá-lo.


e, né, eu não sou das pessoas mais coerentes, então além do cacto comprei essas duas orquídeas que estão em cima da minha mesa em meio a todo o tipo de objetos que uma garota pode ter


isso sem contar as outras duas orquídeas muito maiores que comprei pra dar de natal pra minha mãe, que se encontram no chão do meu closet ocupando muito mais espaço do que eu tenho disponível.

ai, gente, sei lá, a vontade mesmo de verdade é jogar tudo fora e ser uma pessoa livre sem coisas sem possessões sem nada, só minhas plantinhas, meus bichinhos e minhas roupas (porque preciso delas pra viver sem sociedade, nãp me julguem), mas aí eu olho pra todos meus cds, meus livros, meus discos e fico que nem aquela cena de labirinto que a sarah tá no lixão e a junk lady fica jogando as coisas que ela tem em cima dela dizendo "it's all here, everything you love is here, you love this little doll, and your pencils, you know how much you like these slippers" etc etc etc


tudo bem que no fim da cena ela percebe que é tudo lixo e, né, nada disso realmente significa nada, mas eu ainda não cheguei nesse nível de desapego infelizmente. só que o momento que o quarto dela desaba é bem verossímel, viu, gente, porque é o que tá quase acontecendo aqui comigo.

çocorro.

(em outras notas completamente não-relacionadas, eu passei esse filme pros meus alunos no último dia de aula e acho que é tão diferente do que eles estão acostumados a ver, uma vibe tão desencontrada com o tipo de filme infantil sendo feito hoje em dia; eles ficaram completamente concentrados do começo ao fim e vocês não tem ideia de como é difícil concentrar crianças por mais de 10 minutos nesses tempos de internet. eles também ficaram bem confusos com a ideia de que a maioria dos personagens não é nem do bem nem do mal, já que a noção sendo vendida atualmente é que a dicotomia tem que ser clara e absoluta, o que é totalmente absurdo. no fim do filme, um dos meninos me cutucou no ombro e disse: teacher, você pode me explicar O QUE É QUE ACABOU DE ACONTECER? ao que eu respondi "mas o que você acha que aconteceu? o que você acha que a sarah aprendeu depois de tudo isso?" EU NÃO SEI???? EU. NÃO. FAÇO. A. MENOR. IDEIA. DO. QUE. ACONTECEU????? e eu quis dizer que me sinto assim todos os dias da minha vida e que ele logo logo também vai sacar que essa é a vibe mesmo da existência, mas apenas ri e fiz um cafuné naquela cabecinha confusa)



Nenhum comentário: