11.11.16

i'm ready, my lord

i struggled with some demons
they were middle class and tame
you want it darker? - we kill the flame

espero que alguém fale sobre bowie e cohen morrendo no mesmo ano. após compor e lançar álbuns de temática muito parecida. e até de nomes similares.

black star e you want it darker, gente. 

e darker it is, não só pelo cohen. e pelo bowie. e pela nina e pelos buckleys e pela amy e por tantos.

não parece mesmo que a chama foi apagada? que estamos em tempos tenebrosos e escuros? não parece que esse disco do cohen, mais do que uma previsão e uma reflexão sobre si mesmo e a proximidade de sua própria morte, é também uma previsão e uma reflexão sobre esses tempos quentes e tristes e cada vez mais negros?

eu tive tão pouco pra dizer quando bowie morreu (porque bowie, vivo ou morto, sempre esteve acima das minhas palavras, acima do meu idioma, acima da minha habilidade de comunicação), mas agora, frente ao conjunto da morte de bowie e de leonard, eu penso em uma música, que é em si mesma uma delcaração de amor à música e aos grandes músicos, esses que nos deixam sem palavras pois palavra nenhuma explica o que essas pessoas enxergavam e como elas transmitem isso pra nós. e embora o feeling geral seja esse, de querer e ver as coisas darker e darker, eu gosto da mensagem dessa canção, de superar o sombrio, o triste, o pesado e de ser, against all odds, the brightest star, e não the black star. e é isso que tanto bowie quanto cohen são pra mim, the brightest stars.



here's to patty
and tina
and yoko
aretha
and nona
and nico
and me.

(and bowie and cohen and all the strange rock and rollers and all the misfits and the losers: you know you're doing alright)

Nenhum comentário: